sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Como Treinar o Seu Puffle #2 - Nadadeiras Enrascadas

Olá pinguins! Anteriormente, em Como Treinar o Seu Puffle, vimos que os jovens pinguins vikings que estão tentando adotar puffles dragões são os únicos de seu vilarejo a achar que essas criaturas não representam uma ameaça. Também vimos que o puffle dragão de Pedrox, o Entusiasmado, e o de Loko, o Destemido, parecem estar em apuros, já que um desapareceu e o outro chega a correr risco de vida. Como será então que eles vão sair dessa? Continue lendo este artigo e confira a continuação de Como Treinar o Seu Puffle!


- ACALMEM-SE! Pra quê todas essas armas nas nadadeiras!? O puffle dragão só está bastante assustado, nada mais! - grita Loko, para a multidão de pinguins bárbaros.



Ninguém da multidão dá atenção para ele, e continuam em posição para contra-atacar o puffle dragão, que estava disparando bastante fogo.
- Parece que eles não querem nem saber, Loko... - comenta Pedrox, preocupado. - Mas acho que talvez se você se jogasse na frente deles eles iriam prestar atenção!!!
- E ser pisoteado? É esse o plano? - responde Loko, desesperado.
Então, em questão de segundos, um pinguim de nadadeiras hábeis consegue lançar uma pequena armadilha de rede, que prende novamente as asas do puffle dragão, fazendo-o cair com tudo no chão.
- Precisamos agir, e rápido!!! - exclama Ask, pensativo. - Talvez sozinhos não conseguiremos impedir nada, mas juntos poderemos fazer alguma coisa! Vamos TODOS ajudar o puffle!
Os pinguins vikings correm em direção ao pobre puffle dragão e, quando o alcançam, começam a desprender a rede de suas asas.
- É melhor a gente se apressar! Eles estão vindo aí!!! - comenta Joaninha.
- Eu sei, estamos tentando! - responde Loko, fazendo esforço.
- Três, dois, um... PUXEM!!! - exclama Ask, fazendo esforço também.
Finalmente, os pinguins vikings conseguem juntos desprender o puffle da armadilha. A multidão de pinguins bárbaros chega até eles, mas, antes de poderem fazer qualquer coisa, o puffle dragão levanta voo e foge.
- Err... E, aí, pessoal? Qual é a boa?... - diz Loko, sorridente.
- O que vocês moleques fizeram!? - pergunta um pinguim, todo valente. - Não estão vendo os estragos que aquele puffle estava provocando!!??
- É! A cabeça do puffle dragão era nossa! - acrescenta um outro bravo pinguim viking. - Vocês só podem ter minhoca no lugar do cérebro para fazer uma coisa dessas.
- Ele disse "cabeça do puffle"? Sério? - pergunta Garrifro, com tom irônico. - Bom, sem nada a declarar.
- Ei, esperem um pouco aí!!! - exclama Loko, interrompendo os insultos da multidão. - O Trovão não queria fazer nada com vocês, ele só estava assustado por causa da situação toda!
- Trovão? - pergunta novamente o valente pinguim. - Você deu nome para aquela criatura detestável? Mas afinal, o que é que está acontecendo aqui entre vocês?
Um outro pinguim da multidão cutuca o valente pinguim, e começa a cochichar em seu ouvido:
- Corre a bico pequeno que esses moleques são domadores de puffles dragões. E eu também ouvi dizer que um deles ameaçou botar fogo no pobre velho da Cabana do Iaque.
- Mas o quê? Domadores de puffles dragões? Quem iria domar um puffle dragão? - pergunta o valente.
- Não é DOMAR. - responde Ask, com tom de voz firme. - É TREINAR. E sim, nós estamos fazendo isso.
- Já chega. Amarrem eles! TODOS eles! - exclama novamente o pinguim valente. - Vamos levá-los para ter uma conversinha com o chefe da aldeia.
- Oh-ooh... Isso não é nada bom! - aponta Pedrox. - Estamos fritos! Fritos! Mais fritos que os ovos do meu café da manhã!

Os pinguins vikings, de nadadeiras amarradas, são então levados à força ao Grande Salão, onde se encontra Surfando, chefe da tribo. Por lá também estão Bicudo e Salmão, que haviam acabado de explicar o que havia ocorrido com o puffle dragão de Loko.

- Eu detesto quando ocorre essa intriga toda - comenta Garrifro. - Pra mim esses pinguins bárbaros são todos um bando de escandalosos, isso sim.
- Para a sua informação, eles são guerreiros! - defende Pedrox. - Eles protegem a nossa ilha contra invasores, exploradores, saqueadores, dentre outras ameaças terríveis, como trolls, puffles dra... Ah... deixa pra lá vai.
- Pedrox, silêncio! - diz Loko, olhando para o chefe da tribo, que está se aproximando.
- Mas que surpresa vê-los novamente aqui - exclama Surfando. - As notícias sobre vocês não param de crescer.
- Puxa vida, isso quer dizer que estamos famosos!? - pergunta Pedrox, animado.
- Não há como discordar que a fama de vocês está se espalhando - responde Surfando. - Mas com certeza o que dizem por aí não é nada bom. Me pergunto se vocês tem ideia da preocupação disso.
- Bem, não se pode agradar a todos... - comenta Garrifro.
- Acabei de receber a informação de que o puffle dragão de Loko surtou e atacou o vilarejo, e que vocês tem algo a ver com isso.
- Surtou e atacou o vilarejo? Olha, na verdade não foi bem isso o que aconteceu... - responde Ask. - Quero dizer, foi isso... mas não desse jeito! O puffle dragão só estava assustado, ele se sentiu muito ameaçado.
- Ah, é mesmo? E aonde é que ele está agora? - pergunta Surfando.
- Tá aí um problema - responde Loko. - Ele meio que fugiu...
- Você chama isso de se sentir ameaçado, Ask? - pergunta Surfando, enfurecido. - Ele fugiu de seu próprio dono!
- Ei! Espera aí! - exclama Loko. - Ele não fugiu de mim! Ele fugiu da multidão de bárbaros!
- Exatamente. E olha, não é para menos ele ter se sentido ameaçado,  afinal Bicudo e Salmão acorrentaram ele!
- Sim, e fizeram isso sob ordem minha - retruca Surfando. - Não é seguro ver essa espécie de puffle à solta. Puffles dragões são criaturas muito imprevisíveis.
- Mas não é preciso machucá-los! Nós podemos levá-los tranquilamente até este local, e se fizermos isso nada de ruim irá acontecer novamente. Isso eu te garanto!
- Eu não quero saber o que vocês tem a dizer - responde Surfando, com voz de autoridade. - Eu só quero é que vocês deem um jeito de resolver esse alvoroço. Irão consertar os estragos causados! Limpem toda aquela bagunça que o puffle dragão provocou! E vão agora mesmo.
- Sim, chefe... - os pinguins respondem.
- A propósito, quando terminarem, tratem de voltar até mim para mostrar os esconderijos dos demais puffles dragões. E além do puffle dragão de Loko, eu não quero saber de nenhum outro puffle solto por esta ilha! Se causarem mais estragos, vocês irão pagar muito caro por isso.
Ao ouvir isso, Pedrox sutilmente engole sua saliva. Glup!
- Calma, Pedrox - cochicha Ask. - Nós iremos dar um jeito nisso, e iremos encontrar o seu puffle, eu prometo.

Os pinguins voltam então para o local do incidente, que fica em uma região perto da Cabana do Iaque. Abatidos, começam a limpar toda a bagunça e a consertar os estragos.

- Eu só espero que possamos sair dessa encrenca - comenta Loko.
- E nós vamos! - exclama Pedrox. - Eu acho! Não, eu tenho certeza! Está bem... eu não faço ideia.
- Apenas parem de falar e preguem logo esta porcaria de madeira... - resmunga Garrifro.
- Hum... - murmura Ask. - A verdade é que quem deveria mesmo estar aqui no nosso lugar fazendo este serviço são os bárbaros, o Bicudo e o Salmão. Eles que provocaram isso.
- Está aí mais outro motivo pra eu não gostar desses bárbaros - acrescenta Garrifro. - Eles recebem a glória toda, mas nunca trabalham de verdade.
- É!!! - concorda Loko, subindo a voz. - Não sabem o que é dar duro na lavoura! Aposto também que nem sabem o que é trabalhar na fundição!
- E você sabe? - pergunta Pedrox.
- Não... - responde Loko. - Mas isso não importa agora.
- Pessoal, vocês terminaram? - pergunta Ask, suado. - Acho que não há mais nada para ser feito por aqui.
- É, parece que sim - eles respondem.
- Então agora vamos encontrar o meu puffle!!! - exclama Pedrox, agitado. - Eu estou ficando cada vez mais preocupado, vai saber aonde ele se meteu.
- Ok, vamos sim - responde Ask. - Pedrox, qual foi exatamente o último lugar em que você o deixou?
- Foi no Buraco Secreto, eu deixei ele lá! - responde Pedrox.
- Você deixa o seu puffle dragão em um lugar debaixo da terra? - pergunta Garrifro, inconformado. - Bem, não é à toa que ele tenha fugido.
- Ei, cara, ele não fugiu! - retruca Pedrox, defendendo-se. - Eu pelo menos acho que não. Acho que ele só simplesmente sumiu. Ele não teria fugido, porque gosta de ficar naquele lugar.
- Certo, então vamos para lá para dar uma olhada - exclama Ask. - Talvez possamos encontrar alguma coisa que possa explicar o que aconteceu.

Os pinguins vikings chegam então ao Buraco Secreto, um pequeno esconderijo subterrâneo. O local é totalmente mal iluminado, é cheio de pedras e está coberto por alguns gravetos.



- Aí, quase não dá pra enxergar nada por aqui! - reclama Garrifro. - Será que o Pedrox pensa que os puffles dragões tem visão noturna, é?
- Ah, Garrifro, vai ver se estou em Valhala, vai. - responde Pedrox.
- Esperem, acho que deve haver um lampião por aqui em algum lugar... - exclama Ask.
- É, acho que já vi um por aqui sim. - responde Pedrox. - Aqui, encontrei alguma coisa!!!
- Esse aí é o meu pé... - explica Garrifro.
- Ah, foi mal - responde Pedrox.
- Aqui está pessoal, eu achei o lampião - diz Loko, que começa a acender o objeto.
- Isso! Obrigado, Loko - agradece Garrifro. - Ficou bem melhor agora.
- Ei, esperem, o que é aquilo? - pergunta Ask, olhando para um pedaço de tecido no chão.
- Parece um pedaço rasgado de uma roupa... ou talvez de um saco - comenta Loko.
- Hummm - estranha Pedrox. - Parece meio queimado. Eu nunca vi nada parecido com isso aqui dentro antes.
- Deve ser uma queimadura de fogo de puffle dragão! - exclama Ask. - Algo me diz que alguém mais sabia onde encontrar o seu puffle, Pedrox.
- O quê? - responde Pedrox. - Bom, não tinha como ficar pior mesmo.

Continua.


O que você achou do segundo capítulo da série? Deixe o seu bravo comentário viking na nossa postagem! Até mais e... Pinguinando!