quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Como Treinar o Seu Puffle #3 - Plano em Ação

Olá pinguins! Anteriormente, em Como Treinar o Seu Puffle, vimos que os pinguins vikings tiveram que consertar os estragos na vila de Ceperk causados por Trovão, o puffle dragão de Loko, o Destemido. Também observamos que os pinguins foram atrás de pistas a respeito do sumiço do puffle dragão de Pedrox, o Entusiasmado, e encontraram um pedaço estranho de tecido. Será que eles vão descobrir algo? Continue lendo este artigo e confira a continuação de Como Treinar o Seu Puffle!



- Ué, mas que estranho - comenta Garrifro, com a nadadeira coçando o queixo. - Eu acho que não pode ter sido o Surfando, pois caso contrário ele teria mencionado isto pra gente. Mas então por que razão alguém iria pegar o seu puffle dragão, Pedrox? Afinal, aquela criaturinha é bem assustadora.
- O Faísca não é assustador - responde Pedrox. - E eu sinceramente não sei por que alguém iria querer capturá-lo. Será que isso poderia ser inveja porque eu tenho um puffle dragão incrível?
- Nós ainda temos muitas dúvidas - explica Ask. - Precisamos primeiro descobrir de onde é que este pedaço de tecido veio, ele não me é nada familiar.
- Tá legal - responde Pedrox. - Por onde nós podemos começar a procurar pistas?
- Que tal a gente perguntar logo para os pinguins alfaiates de onde é esse tecido? - sugere Joaninha. - Afinal, ninguém além deles conhece tão bem os tecidos vikings.
- Você tá brincando??? - exclama Loko. - Eles trabalham do lado do Grande Salão! O Surfando iria descobrir que mais um puffle dragão está à solta! Não podemos correr o risco de ser pegos.
- Pra falar a verdade, nós não podemos perguntar pra ninguém - acrescenta Garrifro. - Só há intrometidos na nossa aldeia, e eles com certeza vão acabar nos dedurando se suspeitarem de algo.
- É, você tem razão, Garrifro - comenta Ask. - Vamos ficar na nossa por enquanto, procurando qualquer coisa que possa nos levar até o Faísca.

Os pinguins voltam então para a aldeia, ainda intrigados com o que aconteceu. Neste momento, surgem Bicudo e Salmão, que se dirigem até eles.

- Ei vocês, garotos - exclama Bicudo, com atenção para os pinguins. - Vocês já terminaram de consertar os estragos que o puffle dragão causou no vilarejo?
- Sim, nós já terminamos - responde Pedrox, com um certo tom rebelde.
- Ah, é? E será que você poderia responder isso olhando em meus olhos? - pergunta Bicudo, com um ar de duvidoso.
- Mas é claro - responde Pedrox, olhando para cima, tentando olhar nos olhos de Bicudo. - Olha cara, nem dá. Teu bico é tão comprido que mal consigo enxergar o seu rosto! Mas aí, eu acho que você deve ter quebrado fácil a casca do ovo quando nasceu, não?
- Ei! Mas que falta de respeito é esta com meu amigo Bicudo? - pergunta Salmão, inconformado.
- Err, era só pra descontrair um pouco - explica Pedrox. - Sem ofensas, tá Bicudo?
- Vou pensar nisso! - responde Bicudo. - Mas vamos logo ao que interessa. O chefe quer falar com vocês, ele deseja saber a respeito dos esconderijos dos demais puffles dragões.
- Ah, é né... - exclama Loko. - Eu estava quase me esquecendo deste detalhe...
- Pode dizer a ele para esperar? - responde Ask.
- Certo, mas não demorem! - responde Bicudo.
Bicudo e Salmão saem então da presença dos pinguins vikings. Quando os dois já estão longe o suficiente, Ask diz:
- Precisamos FUGIR.
- Fugir??? Como é que é?? Que plano é esse, Ask??? - pergunta Loko, confuso. - Fugir para onde?? E por quê???
- Não vamos fugir de Ceperk, apenas vamos fugir do chefe da tribo - explica Ask. - Eu não posso permitir que mais puffles façam estragos no vilarejo por culpa deles! Isso só iria deixar a gente numa enrascada maior ainda, e o povo da aldeia também estaria em perigo, porque os puffles dragões ficariam assustados e se sentiriam ameaçados.
- Isso é verdade - responde Joaninha. - Sem falar que assim nós nunca iríamos provar que puffles dragões podem ser adotados!
- Hum, tá. - diz Loko. - Mas pra que lugar nós vamos??? E onde iremos deixar os nossos puffles dragões enquanto estamos fora???
- Não, olha, nós precisamos levá-los com a gente - responde Ask. - É a nossa única escolha, não podemos correr o risco de ter mais algum puffle desaparecido. Podemos ir para uma região perto da Praia, ou então para a Clareira, longe da vista de qualquer um.
- Por quanto tempo iremos ficar escondidos? - pergunta Pedrox. - É que alguns de nós podem fazer muita falta, sabe...
- Ainda não tenho certeza - responde Ask. - Mas fique tranquilo, isso será só até descobrirmos como dar uma volta por cima desta situação.
- Certo, deveremos pensar em alguma coisa - acrescenta Loko.
- Então vamos cada um buscar os nossos puffles dragões! Façam as malas também, mas não chamem a atenção de ninguém. E lembrem-se de pegar apenas o que for realmente necessário! Não podemos demorar muito. Nos encontramos no Morro da Tempestade!

Os pinguins partem então cada um para suas cabanas para pegarem suas coisas. Após fazerem as malas, vão até os esconderijos nos quais se encontram seus puffle dragões. Ask havia deixado seu puffle dragão, Raio, na Floresta Abandonada.

- Raio!!! - exclama Ask para o seu puffle dragão. - Como está, amigão?
O puffle dragão voa então em direção às nadadeiras de Ask, que lhe faz carinho.



- Rooar! Rooar! - exclama Raio, animado.
- Escuta só, nós vamos ter que dar uma saidinha deste lugar aqui! Logo, logo você vai estar ao lado de seus companheiros, os puffles dragões de meus amigos. Você adora brincar com eles, não é, amigão!?
- Rooar! - responde Raio.
- Ótimo! Então vamos nessa porque nós não temos muito tempo a perder.

Ask e Raio vão então para o Morro da Tempestade. Por lá já estão Loko, Joaninha, e seu puffle dragão Aurora, e Garrifro, e seu puffle dragão Bola de Canhão. Todos estão segurando suas bagagens.

- Puxa, Loko, não acha que exagerou um pouquinho? - pergunta Ask, olhando para a mala de Loko.
- O quê, isso aqui? - exclama Loko. - Que nada, Ask!!! São apenas algumas roupas, caso a gente fique com muito frio nas penas. E tem bastante comida, mas peguei apenas o suficiente.
- Você pegou o suficiente para uma família de iaques selvagens, isso sim - comenta Garrifro.
- Está bem - responde Ask. - Onde está o Pedrox?
- Ele foi chamar o Plog - responde Garrifro. - E ele disse que precisava antes dar uma passada rápida na Cabana do Iaque. Não me pergunte o porquê.
- Eita, caramba... - exclama Ask. - Só espero que ele não chame a atenção.
Pouco tempo depois, os pinguins avistam Pedrox e Plog se aproximando do Morro da Tempestade.
- Aqui estou pessoal!!! - exclama Pedrox. - Desculpem a demora, eu tive que comprar mais alguns sorvetes de manteiga de iaque, eu não ia conseguir sobreviver sem eles.
- Imagina, foi nada não - ironiza Garrifro.
- Então, Plog, está tudo bem? - pergunta Ask. - O que andou fazendo este tempo todo, afinal? Trouxe o seu puffle dragão com você?
- Está tudo bem sim, é que eu estava trabalhando no Arsenal, foi uma semana difícil, sabe - responde Plog. - E sim, o Dentinho já está aqui! Olha ele ali brincando naquela árvore oca, hehe.
- Aí, pessoal, eu preciso contar uma coisa! - exclama Pedrox. - Enquanto eu estava indo para a Cabana do Iaque, eu ouvi alguns pinguins comentando que viram um puffle dragão verde destruindo uma plantação de repolhos lá no Vale do Abutre.
- Deve ser o Faísca, Pedrox!!! - exclama Loko.
- É, eu sei. - responde Pedrox. - Mas é que eu também estou um pouco confuso, o Faísca nunca faria uma coisa dessas! E ele nem gosta de repolhos!!!
- Humm... Acho que o único jeito de ter certeza é indo lá pra saber o que houve - acrescenta Ask.
- Espera, ir até lá? - pergunta Loko. - E quem não é muito forte para carregar a própria mala... ?
- Você não é muito forte, ou não é muito inteligente? - pergunta Garrifro, tentando ser sincero. - Porque trazer tanta coisa não foi lá muito sensato.
- Ah, qual é Garrifro! - retruca Loko. - Vai me dizer que não pensou na possibilidade de trazer aquela sua coleção de pedras idiotas?
- Meninos, não briguem! - exclama Joaninha.
- Pessoal, vamos logo, não podemos perder tempo!!! - grita Pedrox, já partindo do morro.
- Me dá aqui a sua mala, molenga! - exclama Plog para Loko. - Afinal, força é comigo mesmo.

Os pinguins vikings chegam então ao Vale do Abutre, uma região repleta de plantações de vários tipos. É possível perceber que a agricultura de algumas lavouras próximas está totalmente danificada, como que se tivesse sido simplesmente arrancada do lugar.

- Eita, mas o que será que aconteceu por aqui? - pergunta Ask.
- Minhas penas dizem que quem fez isso deve estar realmente com muita fome - diz Loko. - Olha só esses repolhos, todos arrancados!
- Mas é estranho... eu não vejo nenhuma marca de queimadura - acrescenta Pedrox. - Eu não acho que tenha sido um puffle dragão que tenha feito isso, e muito menos o Faísca!
- Será mesmo? - pergunta Garrifro.
- Bom, pelo menos não há ninguém por aqui - diz Joaninha. - Se houvesse algum trabalhador provavelmente iria colocar a culpa na gente, afinal nós temos puffles dragões, o ignorante motivo de tudo dar errado no mundo dos vikings.
- É, acho que você não poderia estar mais correta - responde Pedrox.
- Gente, eu acho que na verdade nós não estamos sozinhos - exclama Ask, com voz grave.
- O quê? Como assim, Ask? - pergunta Loko.
- OLHEM ALI!!! Aquele pinguim está com os puffles dragões de vocês! - exclama Ask, apontando com a nadadeira para um pinguim encapuzado próximo a eles.
- Mas o quê? - exclama Loko.
- É melhor vocês ficaram longe de mim - sugere o misterioso pinguim de rosto coberto.
- Quem é você??? - pergunta Pedrox. - E o que pensa que está fazendo com o MEU puffle dragão em uma jaula???
- Ei, reparem só na roupa dele, como é diferente - aponta Garrifro. - Acho que já vi esse tecido antes...
- Como é que é? Seu puffle dragão? - pergunta o misterioso pinguim. - Hahahahaha, vocês são um bando de esquisitões mesmo.
O pinguim encapuzado usa uma corrente de apoio e se joga então de um penhasco de frente para o mar, segurando na nadadeira uma pequena jaula com Trovão e Faísca, os puffles dragões de Loko e Pedrox.
- Ele está fugindo!!! - grita Pedrox. - Não podemos deixar ele levar os nossos puffles! FAÇAM ALGUMA COISA, E RÁPIDO!
- O que quer que a gente faça, Pedrox? - pergunta Garrifro. - Se jogue do penhasco também?
- Espere, olhe, Pedrox! - responde Ask. - Ele está entrando em um navio.
- Mas que navio mais estranho... - acrescenta Joaninha. - Não deve ser daqui de Ceperk não.
- E agora? - pergunta Loko. O que faremos?
- Tenho uma ideia - responde Ask. - Nós iremos procurar respostas.

Continua.



O que você achou deste capítulo? E o que será os pinguins vikings irão fazer para salvar os seus puffles dragões? Não se esqueça de comentar! Não perca o próximo capítulo de Como Treinar o Seu Puffle! Até mais e... Pinguinando!