quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Como Treinar o Seu Puffle #4 - Perigos à Vista

Olá pinguins! Anteriormente, em Como Treinar o Seu Puffle, vimos que foi necessário realizar um plano de fuga para que os puffles dragões dos jovens pinguins vikings e os habitantes de Ceperk ficassem em segurança, mas que, inesperadamente, este plano foi frustrado por causa de um misterioso pinguim encapuzado, que escapou em um navio levando consigo os puffles Trovão e Faísca. Qual será então o destino deles? Continue lendo este artigo e confira a continuação de Como Treinar o Seu Puffle!


"Muitos de nós têm medo do que não entendem. Talvez este seja o principal motivo de os pinguins vikings detestarem os puffles dragões. Eles não conseguem entender o poder deles, não conseguem entender do que eles são capazes, e, por isso, sentem medo. Bom, mas no nosso caso, não conseguíamos entender outra coisa..." 

- Isso só pode ser alguma armação - comenta Pedrox. - Por que aquele cara levaria os nossos puffles dragões?
- Ele não só fez isso como também nos chamou de "esquisitões" - acrescenta Garrifro. - Hunf, como se ele fosse um pinguim viking super normal né...
- Bom, mas ele é bem habilidoso! - exclama Loko. - Tem que ter muita força no bico pra se jogar de um penhasco. Eu fiquei impressionado e assustado ao mesmo tempo.
- Uma coisa nós sabemos - exclama Ask. - Sabemos agora de quem era aquele pedaço estranho de tecido encontrado no Buraco Secreto.
- Exato - acrescenta Garrifro. - Mas algo muito estranho também era aquele navio dele... Eu acho que ele não é Ceperk.
- Isso é uma tremenda má sorte... - comenta Joaninha. - Acho que eu preferia mil vezes que fosse o chefe da tribo que tivesse pego os puffles dragões. Pelo menos nós saberíamos aonde é que eles estão agora.
- Bom, mas não adianta chorar pelo leite de iaque derramado! - exclama Pedrox, subindo a voz. - Vamos atrás de pistas para salvar o Trovão e o Faísca.
- Certo - responde Ask. - E agora que estamos com o Raio, a Aurora, o Dentinho e o Bola de Canhão, as coisas podem ser bem mais fáceis.
- Aí pessoal, é melhor a gente se mandar logo daqui!!! - exclama Plog. - Há uns lavradores que estão subindo o morro!
- Eita, então vamos depressa! - exclama Ask. - Todos descendo para a Enseada!!! Com sorte não vamos encontrar ninguém por lá.
- Descer todo esse morro até a Enseada? - pergunta Garrifro, reclamando. - Ah, mas isso é muito cansativo...
- Não há outra escolha - responde Ask. - Vamos, antes que nos vejam!
Pedrox cutuca com as nadadeiras em Garrifro.
- Aí, Garrifro, que tal se eu apenas te jogasse lá pra baixo? - sugere Pedrox. - Ao menos você evitaria esforço.
- Maldição de Loki... Você deve ter leite de iaque no lugar do cérebro, não é mesmo Pedrox? - pergunta Garrifro.
- Calma, calma, não precisa insultar - retruca Pedrox. - Foi apenas uma sugestão...

Os pinguins vikings e os puffles dragões descem até a Enseada, uma praia pacífica e isolada. O sol se põe, e a praia se torna o lugar perfeito para eles passarem a noite. Recolhem algumas folhas de palmeira e alguns gravetos e constroem então um pequeno abrigo.

- Aqui, encontrei mais gravetos! - exclama Pedrox. - Estes devem ser bem resistentes.
- Eu também peguei mais alguns - acrescenta Loko. - Vamos juntá-los e formar uma pilha só, que tal?
- Está bem - responde Pedrox.
- Humm... - pensa Loko. - Olha, o Ask e os outros já conseguiram construir um abrigo, e eu estava pensando, e se a gente usasse os nossos gravetos para fazer uma fogueira? Afinal, a noite vai ficar cada vez mais fria.
- Ótima ideia! - exclama Pedrox. - Eu sempre quis fazer uma fogueira em uma ocasião como esta. E eu aposto que é bem fácil. É só a gente pegar duas pedras achatadas e ficar batendo uma na outra até sair faísca.
- Aqui estão as duas pedras, tome - diz Loko, entregando as pedras para Pedrox.
Pedrox passa a ficar batendo uma pedra na outra sem parar. Ele não obtém resultados.
- Ah, vamos, qual é!!! - resmunga Pedrox, ainda atritando as pedras. - Não pode ser assim tão difícil.
- É, a essa altura já deveríamos ter conseguido... - acrescenta Loko. - Algo me diz que escolhemos as pedras erradas.
De repente, Garrifro chega, e observa Pedrox e Loko.
- Mas o quê? - pergunta ele. - O que diabos vocês estão tentando fazer com essas pedras?
- Tentando acender uma fogueira, não está vendo? - pergunta Pedrox.
- Mas não seria muito mais fácil usar a chama de um puffle dragão? - exclama Garrifro. - Dããã...
- Ih, é mesmo... - exclama Pedrox, disfarçando.
- Bola de Canhão, chamas! - grita Garrifro para o seu puffle dragão, que acende a fogueira.
- Bom, confesso que você é bem prestativo de vez em quando, Garrifro - exclama Pedrox.
- Isso por acaso foi um elogio? - pergunta Garrifro.



Ask, Joaninha e Plog chegam então próximo a eles, e se inconformam com a situação.
- O que vocês estão fazendo!!?? - pergunta Ask. - Apaguem esta fogueira, rápido!!!
- Ué, mas por quê? - pergunta Loko.
- Querem chamar a atenção??? - responde Ask. - Se alguém descobrir que estamos aqui, estaremos enrascados!
- Isso foi ideia deles - responde Garrifro, apontando para Pedrox e Loko e se livrando da culpa.
- Ei!!! - exclama Pedrox, encarando Garrifro.
Loko então apaga a fogueira, e olha para Ask.
- Está certo, você tem razão - exclama Loko. - O pior de tudo seria que, se isso acontecesse, a gente provavelmente nunca mais iria ver o Trovão e o Faísca outra vez...
- Bom, mas isso não vai acontecer - responde Ask, encorajando Loko. - Olha, vamos dormir um pouco, porque amanhã o dia vai ser cheio. Nós iremos atrás de respostas para descobrir onde os puffles dragões estão.

Os pinguins adormecem. Apesar das preocupações, eles conseguem ter uma noite tranquila. E então, algumas horas depois, o sol nasce novamente. A manhã está radiante, a névoa e a brisa gelada tomam conta do lugar. Um pouco mais à frente, pinguins atracam com embarcações.

- Loko, acorda!!! - exclama Ask, chacoalhando o seu amigo. - Acorda, depressa!
- Hã???... Eu posso ficar na cama até mais tarde hoje, mãe?... - diz Loko, sonâmbulo.
- Eu não sou sua mãe... - responde Ask. - Você não está acordado, e eu provavelmente estou falando sozinho agora mesmo. Ok, isso é esquisito.
Ask então traz um pouco da água do mar e despeja na cara de Loko, que acorda no mesmo instante.
- EEIII!! - grita Loko. - Mas o que foi que deu em você!!???
- Shh, não faça barulho! - responde Ask. - Olha, me desculpe te acordar assim, é que você precisa ver uma coisa. Venha comigo!

Ask e Loko vão para uma região um pouco mais à frente da Enseada, onde avistam os pinguins marinheiros com suas embarcações.



- Certo, isso é estranho - exclama Loko. - O que será que eles estão fazendo por aqui? Será que eles são da nossa ilha?
- Com certeza não são, olhe só para o brasão do barco deles - aponta Ask. - É bem diferente do nosso.
- Isso é verdade - concorda Loko. - Mas então quem são eles? E o que é que estão fazendo aqui?
- Eu não sei... - exclama Ask. - E algo me diz que no momento é perigoso ir descobrir. Esta praia não é um lugar para os navios atracar. Eu aposto que eles são vikings invasores.
- Invasores??? - exclama Loko. - Isso é ruim, muito ruim! A gente deveria ir avisar os bárbaros!!!
- NÃO, não podemos fazer isso! - responde Ask. - Se a gente fosse para a aldeia, seríamos pegos. Esqueceu que nós estamos fugindo com os nossos puffles dragões?
Neste momento, outros marinheiros estranhos voltam ao navio, trazendo vários alimentos pertencentes às plantações do Vale do Abutre.
- Ei, espere um pouco aí, eu acho que já entendi - comenta Ask. - Eles estão saqueando a nossa ilha! E provavelmente aquele pinguim encapuzado é da tribo deles também! Afinal, ontem as nossas plantações também haviam sido arrancadas.
- E eles já estão pra sair!!! E agora, o que iremos fazer? - pergunta Loko, preocupado. - Enfrentar eles? Lutar contra eles? Que Odin nos ajude...
- Não, olha, eu tenho uma ideia melhor, mas nós antes precisamos ir chamar os outros.

Após os pinguins se reunirem, eles vão até a Doca da Enseada, o lugar onde os pinguins marinheiros da ilha de Ceperk atracam seus navios e embarcações comerciais.

- Tá legal, pessoal, o plano é o seguinte: nós iremos pegar um dos nossos navios e iremos seguir aqueles marinheiros estranhos para ver até onde essa loucura vai dar - exclama Ask. - Este pode ser o único jeito de descobrir onde estão os puffles dragões de Loko e Pedrox.
- O quê? Navegar em alto mar? - pergunta Garrifro. - Está doido? Eu vou acabar ficando com náusea!
- Ah, pare com essas frescuras, Garrifro - exclama Plog. - Além disso, não há motivo para se preocupar. Eu sou um excelente marinheiro, o meu pai me ensinou muito bem a velejar em alto mar.
- Ah, me sinto muito melhor agora - exclama Garrifro, sendo irônico.
- Então vamos nessa! - exclama Ask. - Nós teremos que navegar com bastante discrição, não podemos ser notados pelos pinguins marinheiros invasores.
- Se não?... - pergunta Pedrox.
- Se não estaremos mais fritos que os ovos do seu café da manhã, Pedrox. - responde Loko.
- Que café? - pergunta Pedrox, elevando uma sobrancelha. - A única coisa que eu comi quando levantei foi um pedaço de casca de coco.

Sem ninguém perceber, os pinguins pegam então um dos barcos de Ceperk e fazem uma discreta perseguição em alto mar, percorrendo o mesmo caminho traçado pelos pinguins marinheiros saqueadores. Após um tempo de navegação, eles atracam em uma ilha estranha.

- É, deve ser aqui que eles moram... - comenta Ask. - Eu nunca vi essa ilha antes.
- Que ilha mais esquisita... - acrescenta Garrifro. - E olha só esse solo! Não me parece nem um pouco fértil.
- Eles estão indo para aquele lado!!! - exclama Pedrox. - Vamos, e não deixem que eles notem a gente.
Pouco tempo depois, eles chegam a um local onde há vários pinguins fazendo algum tipo de trabalho forçado. A ilha passa a ficar cada vez mais amedrontadora. Os pinguins vikings observam a cena de longe, em cima de um pequeno morro.
- Olha só para esses trabalhadores! - exclama Loko. - Eles parecem trabalhar arduamente, e sem descanso. Eles devem trabalhar é para alguém, isso sim... Mas quem?
- Ei, espera, VEJAM! - exclama Ask. - Ali está o pinguim misterioso encapuzado!
- Onde??? Cadê??? - pergunta Pedrox. - O Faísca está com ele também?

Continua.



O que você achou deste capítulo? Está ansioso para saber o que vai acontecer? Não perca a continuação de Como Treinar o Seu Puffle! Até mais e... Pinguinando!