quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Como Treinar o Seu Puffle #10 | Nossos Puffles Dragões, Parte 2

Olá pinguins! Chegamos ao ÚLTIMO capítulo da série. Anteriormente, em Como Treinar o Seu Puffle, os pinguins retornaram para a ilha de Ceperk. Joaninha encontrou novos puffles dragões na Velha Cabana, e ficou confusa. O que ela não sabe é que estes puffles pertencem aos novos companheiros da turma, Fefezinh, Pingu e Nik. Numa tentativa desesperada, os pinguins vikings foram falar com Surfando e explicar a situação que havia ocorrido e que ainda ia ocorrer, até que finalmente Peres chegou à Ceperk para espalhar o caos. Qual será o destino da ilha e dos nossos heróis pinguins vikings? Confira a continuação e encerramento da série Como Treinar o Seu Puffle!


Os navios de Peres, o Poderoso, atracam todos na Doca de Ceperk, deixando um rastro de destruição pela estrutura de madeira do porto das embarcações. Há muitos pinguins do vilarejo de Ceperk observando a cena. E, olhando pela inteira linha do horizonte, é possível enxergar centenas de navios da frota, tripulados de guerreiros, saqueadores, bárbaros e marinheiros. Peres desembarca do navio maior, e anuncia a sua chegada:

- POVO DE CEPERK! - ele grita. - Eu sou Peres, o Poderoso, o Conquistador de terras, o Engrandecido. Estou aqui para tomar posse de sua ilha, e aqueles que se opuserem a mim irão sofrer as devastadoras consequências do meu poder, do meu exército, e dos meus puffles dragões.
Os pinguins do vilarejo se assustam e, confusos, olham para Surfando na esperança de alguma resposta. Junto ao chefe da tribo, estão também os pinguins vikings, com exceção de Joaninha, e os ajudantes do chefe, Bicudo e Salmão.
- Ele com certeza não está para brincadeira - exclama Pedrox.
- O que faremos agora, chefe? - pergunta Bicudo.
- Olha, eu preciso que vocês saiam desta região - exclama Surfando para os pinguins vikings. Não é seguro.
- Espera, o que você irá fazer? - questiona Loko, intrigado.
- Eu irei fazer aquilo que nós vikings sempre estivemos preparados para fazer - responde Surfando, com tom de voz firme. - Defender o nosso povo. Ou pelo menos irei tentar fazer isso. VÃO! FUJAM! Vão embora antes que inicie a batalha.
Os pinguins correm, partindo para um lugar mais seguro.
- Se é guerra que você quer, é guerra que você vai ter - exclama Surfando para Peres.

"Estamos assustados. E com medo. Ceperk jamais presenciou algo assim. Já enfrentamos alguns saqueadores e piratas antes, mas um exército que possui puffles dragões poderosos? Isso ultrapassa tudo..."

- Ele nunca vai conseguir derrotar a frota de Peres! - exclama Ask, caminhando junto com os amigos por uma trilha. - Eles são muito mais numerosos do que eu pensei.
- E então, o que faremos??? - pergunta Pedrox.
Caminhando depressa, os pinguins de repente trompam com Joaninha pelo caminho.
- JOANINHA! - exclama Ask. - Por que demorou tanto? Estávamos ficando preocupados.
- Eu estava escondendo os nossos puffles dragões na Velha Cabana, e acabei me deparando com algo... interessante - responde Joaninha. - Já haviam puffles dragões por ali! Bem estranho, não é?
- Quando você diz "Velha Cabana", você se refere a uma cabana meio abandonada, quieta, totalmente afastada do vilarejo e que tem a porta emperrada? - pergunta Nik.
- Sim - responde Joaninha. - Como você sabe? Espera, quem são eles, Ask?
- Ah, são Fefezinh, Pingu e Nik, e eles estão com a gente - responde Ask.
- Nós quem deixamos os nossos puffles dragões na Velha Cabana - acrescenta Fefezinh.
- E eles estão seguros, mileide Joaninha? - pergunta Pingu.
- Estão sim - afirma Joaninha, balançando a cabeça.
- Segurança é só uma palavra agora - exclama Ask. - Peres e sua frota chegaram.
- Essa não!!! - exclama Joaninha, surpresa. - O que faremos agora? O que vai acontecer com a gente? E o que vai acontecer com os nossos puffles dragões?
- São ótimas perguntas - responde Ask, subindo a voz. - E somos nós mesmos que iremos determinar as respostas. Vamos todos para a Velha Cabana, pessoal!

Enquanto isso, perto da Praia...

- ATIREM NOVAMENTE!!! - ordena Peres. - Mirem aonde for preciso!!! Destruam todos os arredores da ilha!!!
Com catapultas, os marinheiros lançam enormes pedras de fogo incendiadas por puffles dragões em direção à ilha de Ceperk. Destroem cabanas e desfazem trilhas, queimando florestas e matas, fazendo surgir no céu uma gigantesca nuvem de fumaça.
- Estamos usando tudo o que temos, chefe! - grita um marinheiro.
- Nem tudo - afirma Peres, com tom de voz firme. - Está na hora de usarmos os nossos PUFFLES DRAGÕES!
- Está bem, Peres! - exclama um guerreiro. - Como iremos fazer isso?
- Apenas deem o comando para as feras, imbecil! - responde Peres, arrogante. - Faça-os fazer destruir todo o resto de Ceperk! AGORA!!!
- Certo, certo! - responde o guerreiro, que se apressa para cumprir as ordens.
- Ceperk não tem como impedir o nosso poderoso império - afirma Peres. - Depois que destruirmos esta ilha insignificante, iremos conquistar o resto do arquipélago, e eu serei o viking mais poderoso e destemido de todos os séculos.
Os guerreiros então dão comandos para os puffles dragões, oferecendo peixes como recompensa. Eles instigam para que as criaturas destruam a ilha, apontando e fazendo gestos de treino. Os poderosos puffles estão trancafiados dentro de jaulas de metal, e, neste exato momento, são soltos.
- MWAHAHAHA! - ri Peres. - É o fim!!! Os habitantes deste lugar terão a honra de me reverenciar quando tudo isto acabar. E aqueles adolescentes idiotas irão pagar caro pelo que fizeram a mim. É o fim para eles, e o início para nós.
Em seguida, Peres observa os puffles dragões voando instintivamente para direções opostas, esquivando-se de qualquer vestígio de destruição e concentração de gente. Agora que soltos, eles partem para encontrar seus verdadeiros e possíveis habitats, sobrevoando em direção às cadeias montanhosas, rumo à natureza selvagem da ilha de Ceperk, desaparecendo do que a vista alcançava.
- SEUS IMPRESTÁVEIS! - grita Peres, furioso. - ELES FUGIRAM! PERDEMOS ELES!
- Calma, não há por que se preocupar, chefe! - grita um guerreiro, na esperança de consolar o próprio chefe. - Nós somos vikings, esqueceu!? Iremos dar um jeito e completar a nossa triunfante vitó-
Neste momento, Peres interrompe a fala do capanga e o arremessa para fora do navio, e o pobre guerreiro cai no mar.
- JÁ CHEGA! Eu mesmo irei fazer isto. - exclama Peres, imponente. - Onde ele está???
- Está na jaula de aço, perto dos seus aposentos, chefe, assim como você mandou - responde um marinheiro atento.
Peres vai para perto dos seus aposentos, e avista então o lendário e radiante Puffle Dragão Dourado, preso dentro de uma forte e resistente jaula de aço, para que assim não tentasse fugir ou destruir nada com o seu grande poder de perfuração. O robusto viking sorri.



- Você irá entrar para a história agora, ó bela criatura - diz Peres para o puffle dragão dourado. - Terá a honra de destruir a sua primeira ilha, e fará isso sob o MEU total controle. Tragam a corrente!!!
Os capangas trazem para as nadadeiras de Peres uma corrente firme, extremamente comprida, fundida e predestinada a ser usada justamente para esta ocasião. Peres então a usa para prender o lendário puffle, simulando assim uma poderosa coleira de metal.
- Está na hora do passeio - diz Peres. - O passeio da destruição!

Na região perto da Praia...

Nós não iremos conseguir, chefe! - grita um bárbaro para Surfando.
- Nós temos que tentar! - grita Surfando. - Não desistam de lutar! Apaguem os incêndios! Tirem o povo daqui e levem-nos para um lugar mais seguro!
- Sim, senhor! - ele responde.
- Ei, espera, o que é aquilo? - indaga Bicudo, olhando para Peres desembarcando de seu grandioso navio.
- Parece ser o Peres, o Poderoso, Bicudo - responde Salmão.
- Pelo amor de Thor, eu sei!!! - exclama Bicudo. - Eu me refiro ao que ele está puxando...
Eles avistam o robusto viking Peres saindo do navio com o lendário Puffle Dragão Dourado, sob o domínio da corrente. Nos ares, o puffle está agitado e furioso, e entrelaça suas asas de um lado para o outro, agindo rebeldemente.
- Quieto, criatura! - grita Peres, segurando o puffle. - FAÇA O QUE EU MANDAR! DESTRUA A ILHA!!!
O lendário Puffle Dragão Dourado se impulsiona com tudo em direção ao solo, abrindo um buraco sobre o mesmo, formando rachaduras em sólidas rochas e fazendo com que pedras e cabanas se desmoronem. Emergido, ocasiona um forte tremor na ilha, que num abalo sísmico faz Ceperk balançar.
- É um Puffle Dragão-o Dou-rado... - exclama Surfando, surpreso e preocupado, tentando se segurar em alguma coisa. - Eu só escutei lendas sobre esta criatura. Sob o domínio de um guerreiro, é a arma mais mortal que pode sobrevir a um viking.
- Nós esta-a-mos em muita desvanta-gem, chefe!!! - grita um bárbaro, tentando se apoiar também.
O tremor de repente se aquieta.
- Surfando!!! - grita Loko, se aproximando junto com os amigos.
- Vocês? - pergunta Surfando. - O que estão fazendo por aqui? NÃO É SEGURO! E por que trouxeram puffles dragões? Não estão vendo os estragos que essas criaturas causam!? Vejam o que aquele puffle dragão acabou de fazer com a nossa ilha e com o nosso vilarejo! Ceperk está sofrendo as devastadoras consequências disso tudo!
- Eles só precisam ser usados para fazer a coisa certa - retruca Ask, subindo a voz. - Agora, amigão!!!
O puffle dragão Raio emite um sinal de rugido ensurdecedor, que atrai centenas de diversos puffles dragões da ilha para a Praia, tornando-se possível assim visualizar uma legião de puffles alados pelo céu.
- Assim como os vikings, os puffles dragões também defendem os seus - exclama Ask. - E é exatamente isso que irão fazer, Surfando. VÃO!
Os territoriais puffles dragões partem para o ataque, lançando do céu fogo e enxofre sobre a inteira frota de navios do viking Peres, o Poderoso. Assim, os guerreiros, saqueadores, bárbaros e marinheiros se veem obrigados a abandonar seus navios, se jogando sobre a água. Queimando madeiras, mastros e conveses, os puffles dragões vão desfazendo o exército.
- NÃÃÃO!!!! - grita Peres, observando a cena. - O que vocês estão fazendo? O meu exército!!!!
De repente, das profundezas do subterrâneo, e acorrentado pelas correntes que Peres segura, o puffle dragão dourado retorna à superfície, fazendo uma triunfante entrada.
- GROOOAAR!!!! - ele ruge, impaciente e furioso.
- Vejam! - exclama Fefezinh - É um puffle dragão dourado!
- É, e parece que ele não está nada feliz de estar acorrentado - aponta Garrifro.
- Depressa, Trovão! - exclama Loko. - Ajude o nosso amigo!
O puffle dragão Trovão sobrevoa então em direção a Peres e o Puffle Dragão Dourado, e dispara uma rajada de brasa fervente nas correntes que Peres puxava. Com o extremo calor da brasa, a corrente derrete, e o Puffle Dragão Dourado se vê livre das nadadeiras do viking.
- NÃO PODE SER! - grita Peres. - Puffles dragões insolentes! Vocês não são páreos para me deter! Ceperk irá cair hoje!
O puffle dragão dourado olha para Peres, encarando-o ferozmente. Dos céus, ele mergulha em voo em direção ao robusto viking, que se vê obrigado a fugir da criatura e a se jogar para o mar.
- AAAAAAAH! - grita Peres, enquanto se arremessa de um penhasco e cai no mar.

Os vikings de Ceperk comemoram. O exército inteiro de Peres caiu. A ilha está salva da destruição e da ruína que outrora era eminente.

- Vocês demonstraram grande bravura e coragem ao fazer isso, tal como nunca visto antes - exclama Surfando.
- Concordamos plenamente - afirmam Bicudo e Salmão.
- Só fizemos o que tínhamos que fazer - responde Ask.
- Nada além do que o senhor nos ensinou - acrescenta Loko. - A ilha está salva, e em segurança.
- E tudo graças aos puffles dragões - exclama Pingu.
- Quem diria que estas criaturinhas podem mesmo ser treinadas - exclama Surfando. - Estou mais surpreso do que nunca.

"Esta é Ceperk. E tudo aqui é muito frio. Com exceção dos nossos puffles dragões.

Sabe, quando você e os outros com quem você se importa estão em apuros, a única coisa em que você consegue pensar é em um meio de poder ajudá-los. Não importa como, você precisa salvá-los. O desafio pode ser implacável. Mesmo assim, quando isso acontecer, faça tudo o que você puder - mesmo que pareça ser uma loucura.

Aqui na ilha, loucura é com a gente mesmo. Todos agora adotaram os seus próprios puffles dragões. Quem diria, não é!? Surfando gostou muito do seu novo companheiro dourado. Após tantas gerações de conflito, finalmente estamos em paz. E cada habitante da aldeia está se esforçando cada vez mais para treinar estas criaturinhas. Afinal, puffles ainda são puffles. E eles merecem o nosso cuidado.

Os vikings de Ceperk estão festejando e comemorando este grande acontecimento, e fazem isso com muita glória, alegria e honra. Não é sempre que se derrota um exército enorme. E mesmo se ainda tentarem nos fazer cair, nós estaremos preparados. Estaremos todos preparados. Pois nós temos os nossos puffles dragões!"



FIM.

O que você achou do capítulo final!? E o que você achou da nossa série? Sempre deixe o seu bravo comentário viking, e continue preparado para o que der e vier. Até mais e... Pinguinando!