quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Minisséries CPA - O Primeiro Natal do Club Penguin

Olá pinguim! Seguindo a promessa de novas séries e minisséries CPA, eu apresento para você: "O Primeiro Natal do Club Penguin", uma minissérie escrita por mim, e ilustrada por Pincells. Você irá viajar para 2005 e descobrir como foi o primeiro natal da história da ilha, e ainda descobrir o valor da amizade, confiança e companheirismo. Continue lendo esta postagem para acompanhar esta história de natal, que é um presente do CPA pra você!



Obs:. para ajudar na sua "viagem à 2005" as ilustrações estão no estilo desta época. Aproveite, e boa leitura!

Natal... Época de paz, amor, e... Presentes! Heheh. Mas, em uma pequena ilha chamada Club Penguin, não é bem assim... Pelo menos no momento, já que essa história se passa em 2005. Mas sempre há aqueles que, estão destinados a mudar o rumo da história, e para sempre.

- Uaaaah! - espreguiça um pinguim azul escuro. Seu nome é Gary.
- Nem acredito! Hoje é o primeiro dia de Dezembro! - diz ele, feliz.
- É como se eu sentisse que têm algo especial neste mês... - diz Gary.
- ...mas... hehe. Eu não faço ideia do que é! - termina.
- Puf, puf... - diz Inventor, o puffle azul de Gary, que também acaba de acordar.

De repente, um estrondo acontece e assusta os dois, que correm para fora para ver o que houve. O susto é maior ainda quando eles encontram uma máquina gigante, com uma porta na sua lateral. Esta porta se abre, e dela sai um pinguim igual a Gary, só que ele usa óculos e um jaleco branco.


- Quem é você?! - pergunta Gary, assustado.
- Calma! Sei que a resposta será estranha, mas sou você. - responde o misterioso pinguim.
- Hã?! Não entendi nada... - diz Gary, ainda mais assustado.
- Sou você do futuro! Eu venho de 2015. - responde.
- E-então... isto significa que somos um mesmo pinguim?! - pergunta Gary do presente.
- Tecnicamente sim... - responde o Gary do futuro.
- Show! Mas o que lhe trás até 2005?! - pergunta o Gary do presente.
- Ah, é uma longa história! No momento, todos estão comemorando o Natal, então eu pensei em aproveitar este tempo para aprimorar o meu mais importante projeto: a Máquina do Tempo 3000. Fui fazer um teste, e acabei vindo parar aqui. - responde.
- Natal?! O que é isto?! - pergunta o Gary do presente.
- Ué, você não sabe o que é natal?! - pergunta Gary do futuro, confuso.
- Não, eu nunca ouvi falar sobre isso! - responde Gary do presente.
- Bem, o natal é uma data muito especial que comemoramos todo final de ano! - responde Gary do futuro.
- Hmmm... Poderia me contar um pouco mais sobre isto? - pergunta Gary do presente.
- Claro! E você poderia me contar um pouco sobre como vocês vivem nesta época? - pergunta Gary do futuro, muito curioso em saber como é o dia a dia dos pinguins de 2005.
- Com certeza! - responde Gary do presente, muito feliz.

E assim, os dois começam a conversar. Gary do presente conta para o Gary do futuro como eles vivem. Na verdade, nem há tanta coisa assim para contar. Até quase nada. Mas Gary do presente acha muito legal a ideia de Natal, e decide contar para todos os seus amigos. Em poucos dias, todos já estão sabendo o que é Natal, e já até começam a preparar a 1ª festa de Natal da história do CP.

- Vamos lá! O Natal é daqui há alguns dias e ainda nem temos a decoração! - diz Gary do presente, convencendo todos os pinguins a ajudá-lo a montar a festa.


- Puff, puff! - diz o Inventor, o puffle de Gary do presente.
- Inventor? O que foi? Não vê que estou ocupado?! - diz Gary do presente.
- Puff... Puff! - continua Inventor, tentando levar seu dono até seu iglu.
- Aaaaah! O que foi?! Está maluco?! - grita Gary do presente.
- Agora estou muito ocupado. Não posso ir no meu iglu. Tenho que prepara a Festa de Natal! - responde.
- Puff, puff... - desanima Inventor.

O que Gary não sabe é que seu puffle está com fome. Como Inventor não quer lhe atrapalhar, ele decide ir procurar comida sozinho, na floresta do Club Penguin. Gary do presente não vê seu puffle saindo, mas Gary do futuro sim.

- Hmmm... que interessante! Como eu imaginava, os puffles desta época ainda são selvagens, e procuram por comida sozinhos. Eles parecem não necessitar da ajuda de pinguins. - pensa Gary do futuro, sem saber que aquele puffle é de sua versão do presente.
- GARY! VENHA AQUI! - grita Gary do presente.
- Já estou indo! - corre Gary do futuro.
- E então, a decoração está boa? - pergunta Gary do presente ao outro Gary.
- Boa?! Está INCRÍVEL! Só está faltando uma coisinha... - responde Gary do futuro.
- SÉRIO?! O que é? - pergunta o Gary do presente, curiosíssimo.
- ...uma árvore de natal! - termina Gary do futuro.
- Hã?! Como podemos conseguir uma dessas? - pergunta Gary do presente.
- É só decorar um pinheiro! A ilha é cheia deles. - responde Gary do futuro.
- Ah, eu conheço um perfeito! Ele fica na floresta do Club Penguin! - diz Gary do presente.
- Falando nisto, eu ví um puffle azul indo pra lá... - diz Gary do futuro.
- O QUÊ?! SÓ PODE TER SIDO O INVENTOR! - exclama Gary do presente.
- Inventor?! - pergunta Gary do futuro.
- Sim. É o nome do meu puffle azul. Acho que ele estava com fome... Mas eu não pude dar atenção porque estava arrumando a decoração... Ele precisa de mim! - diz Gary do presente.

Não demorou muito para os dois pensaram em o que fazer:

- Vamos para a floresta do Club Penguin! - exclamam, os dois.

Em 2005, a floresta do Club Penguin ainda não havia sido descoberta, então era um lugar muito misterioso e até perigoso, pelas fortes tempestades e neve. Mas os dois decidem se aventurar na floresta para procurar o Inventor.

Ao chegar na Floresta, os dois começam a procura-lo.

- Inventor! Cadê você?! - grita Gary do presente, sem ouvir nenhuma resposta.
- É... parece que ele sumiu mesmo. - diz Gary do futuro.
- Não... não. NÃO! Não pode ser! - grita Gary do presente, enquanto começa a chorar.

De repente começa a nevar. Uma neve MUITO forte que faria qualquer pinguim correr para seu iglu. Mas Gary continua lá, chorando e pensando no seu querido puffle.

- É melhor nós desistirmos... - diz Gary do futuro.
- Mas eu preciso achar o Inventor! - grita Gary do presente.
- Ele é tão importante assim?! - pergunta Gary do futuro. - TÃO IMPORTANTE PARA FAZER A GENTE SE PERDER NA NEVE?! - continua.
- SIM. Ele é muito importante para mim. - diz Gary do presente - E se você não entende isto, é melhor voltar logo. - termina.
- Sabe? Era o que eu devia ter feito há muito tempo atrás. Eu só estive perdendo tempo continuando neste ano, não devia nem ter vindo... - diz Gary do futuro, voltando para o local seguro. Ele só vai sumindo na tempestade de neve...

Gary do presente continua andando. É difícil andar com uma tempestade de neve tão forte assim. Mas ele não desiste. E, por sorte, somente alguns passos depois ele escuta um barulho familiar.

- Puff, puff! - é o que ele escuta.
- INVENTOR! - grita Gary do presente.
- Puff, puff, puff! - Inventor sai do meio da neve.


- Aaaah... fico tão feliz que você esteja bem! - diz Gary ao seu puffle.
- Puff.... - é o barulhinho que Inventor faz.
- Bem, vamos voltar pra casa. Só é uma pena que perdemos um amigo... - diz Gary.

E assim, os dois voltam para o Centro. É quando eles tomam um GRANDE susto.

- UAU! Quem fez isto?! - grita Gary do presente.
- Puff, puff! - Inventor fica pulando de alegria ao ver tantas luzes.
- É um pinheiro magnífico! - diz Gary do presente.
- É o mínimo que eu podia fazer, depois de ser rude com você... - aparece Gary do futuro.
- Oooh... Então foi você quem fez! - diz Gary do presente, abraçando sua versão do futuro.
- Heheh... E não é só. Também criei uma máquina de neve, para dar um clima mais natalino! - diz Gary do futuro, mostrando a sua máquina que está fazendo nevar.
- Uau, esta máquina é incrível! Acho que estou começando a me interessar por ciência... Um dia quero ser que nem você. - diz Gary do presente.
- E você será. - responde Gary do futuro.
- Heheh... E sobre aquela nossa briga, me desculpe, acho que exagerei... - diz Gary.
- Não. A culpa foi minha. Mas, vamos mudar de assunto... - diz Gary do futuro.
- ...E aproveitar esta festa toda! - termina.

E assim, eles comemoram a primeira Festa de Natal da ilha, que, embora tenha sido preparada às pressas, com certeza foi a mais inesquecível de todas.


~ THE END ~

Espero que tenha gostado desta história de natal, e que seu natal também seja inesquecível, como foi o de Gary e seu puffle Inventor! Diga nos comentários o que achou, e que outras minisséries você gostaria de ler. E não se esqueça de contar o que achou das ilustrações estilo retrô - foi divertido para o Pin fazer, e queremos saber se foi divertido para você ver.

Feliz natal e boas festas! Até mais e... Pinguinando!