sábado, 26 de novembro de 2016

Sala de Debates #9 | Lançar o Club Penguin Island sem uma versão para Desktop afetará o sucesso do projeto?

Olá, pinguins! Hoje, depois de bastante tempo, estou de volta com o quadro preferido da nação brasileira! Isso mesmo, o Sala de Debates está retornando, com os assuntos mais interessantes, discutíveis e polêmicos sobre o Club Penguin, e, agora, o Club Penguin Island.


"Lançar o Club Penguin Island sem uma versão para Desktop afetará o sucesso do projeto?"


Gian: Não. Atualmente, segundo estudos, temos mais acesso à Internet por dispositivos mobile do que pelo clássico computador. Não há porque pensar que isso seja diferente com o Club Penguin Island. Claro, vai ter muitos jogadores descontentes, aliás, já têm, com o fato que não irá ter para PC no lançamento.

Porém, mesmo com esse descontentamento, ainda sim vão baixar o jogo, por ser fascinantemente bem desenvolvido, e, depois que se acostumarem, muitos irão até fazer uma assinatura no jogo. O impacto maior será nas crianças menores, que não tem celulares nem tablets, e isso diminuirá um pouco a taxa de jogadores com essa idade. Mas, ainda assim, vão ter muitos que vão jogar nos celulares dos pais, e não vejo que vá influenciar muito. 

Muitos jogos de mobile conseguem mais sucesso que muitos jogos de PC. Um exemplo recente é o Pokemon Go. Ou, ainda, o Flappy Bird, que é um jogo mobile muito fraco em termos de desenvolvimento, mas ficou mais famoso do que a maioria dos jogos feitos para PC. 

De fato, se o jogo for bem divulgado pela Disney, como certamente será, não ter para PC não será muito significante.


Chrys: Não. Para a CPBR o peso desse assunto é forte desde o princípio, apesar de que a resposta seja claramente não. É só pegar Pokémon GO de exemplo. Versão PC? Inexistente. Sucesso? Febre mundial. E na verdade, pegar qualquer jogo mobile da Marvel também vale. Tem para PC? Não. São um sucesso? Tão bom que até hoje a Marvel não para de lançar novos apps.

Minecraft é o maior exemplo que se aproxima do CP nesse assunto. Lançado para PC, desenvolvido para PC, seu lar é PC, mas o lado que é mais jogado vem do Pocket Edition.

Tem MUITOS jogos que estão na App Store que nunca vemos no Brasil e mesmo assim fazem sucesso pelo mundo, opiniões sobre jogos variam de região à região. Uma mudança de comunidade também é bem difícil, muitos dão desculpas "ai meu celular não vai rodar" mas eu levanto o ponto "acha mesmo que só porque tem um PC bom todos vão ter?".

O mundo mobile hoje é MUITO mais acessível que o mundo dos PCs, para um jogo simples, como o CPI (eu chamo de simples pelo simples motivo gráfico, não é aquela coisa "ai meu deus que realista que engine perfeita") não existe lugar melhor que o mobile. O maior problema mesmo vai ser só a questão da assinatura travando tudo. Rolou o mesmo com um dos meus jogos favoritos da minha vida (Monkey Quest), travou muitos recursos bons à assinatura e deu ruim.

Veja que a situação pode continuar a mesma que é hoje. Segundo o CP, o CP App é muito mais movimentado que o próprio CP Web, a maior mudança, em comunidade, pode ser o fato que a comunidade CP App enfim vai se juntar à comunidade CP como um tudo através do novo app. As demais "acusações" são coisas bem mimimi, essa questão de "roda ou não roda" é muito coisa técnica e pessoal, CP pensou em um âmbito maior.

Eu penso um pouco pelo contrário na parte do conteúdo. Veja Minecraft, LoL e outras comunidades gigantes baseadas em 3D, eles tem muitas formas de criar conteúdo, sempre vai existir isso, só vão mudar os meios pelos quais usaremos. Acha mais fácil printar seu personagem fazendo determinada ação ou desenhar ele do zero por no CP não ser capaz de colocá-lo como deseja?

CP não é um "competitivo" o que já afasta de nós a possibilidade da vinda de jogadores tóxicos. Os novos jogadores que vão chegar, devem vir muito de um público infantil, novas crianças vão chegar e acredite é DISSO que o CP precisa. No auge de sua comunidade, CPBR era composta quase totalmente por pessoas menores de 13 anos, isso dava um ar a comunidade juvenil, um ar que é difícil de se ver hoje. Crianças hoje são mais mobile gamer ou console gamer que PC gamer.

Sonic:  Sim. Inicialmente não, reconheço que isso não será necessário para o CP Island em seus "primeiros momentos de vida", mas acho que é muito arriscado apostar exclusivamente nos mobiles.

Essa transição do desktop para mobile vai dificultar a produção de conteúdo para algumas pessoas na CPBR, o que vai requerir uma espécie de adaptação. Para a postagem de notícias, um devido postador deverá ter obrigatoriamente um celular com uma configuração mínima para poder ter o aplicativo, o que pode não ser do alcance de muitos. Esse é apenas um exemplo do que pode acontecer com essa transição, e esses casos podem acabar virando um problema maior. Também há a questão da desvalorização do jogo. Entre tantos e tantos aplicativos disponíveis, o Club Penguin Island pode acabar não tendo tanto destaque, o que seria um fim trágico para um MMO de 11 anos de idade tão influente como o Club Penguin. 

Claro, o CPI tem potencial para ficar entre os primeiros nomes tratando-se de jogos infantis, embora haja a velha questão da assinatura, mas creio que uma versão desktop extinguiria essa possibilidade. 
Pelo outro lado da moeda, a CPBR pode conseguir o que tanto precisa: novos jogadores. O mercado dos jogos mobile têm crescido constantemente, o que pode trazer uma nova leva de jogadores, que deverão estabilizar nossa comunidade.

Na minha opinião final, não acho certo acabar com o CP desktop por ser demasiadamente arriscado. Talvez se existissem ambas versão desktop e mobile haveria uma chance menor de o CP Island fracassar.


Mister Snuggy: Não. Para mim, o fato de o Club Penguin Island ir para os mobiles não irá afetar em alguma coisa. 

Afinal, o mercado dos smartphones é muito mais acessível para as pessoas. É claro que irei sentir falta das velhas festas em 2D no Desktop com aqueles gráficos simples, mas o Club Penguin Island para os mobiles com certeza é um grande avanço para a comunidade. Muitas pessoas da nossa comunidade vão ter que se adaptar com essa nova forma de jogo e produzir conteúdos diferenciados.

Resumindo, se eu acho que o jogo vai ser um sucesso, não vai mudar se será lançado para os smartphones primeiro. E se for ruim, também não terá nada a ver com o fato da versão para computadores não ter sido lançada.

Club o Doido (convidado): Sim. Vai afetar sim, já que tipo, nem todos do público que o Club Penguin atinge tem mobile pra jogar isso. É aquela, muitos vão depender dos pais pra jogar.

Anexos:




E aí, pinguins? O que acharam do novo estilo do Sala de Debates, e dos nossos novos participantes, Chrys, Sonic e Mister Snuggy? Caso queiram participar da próxima edição como convidados,
mandem-me as suas dissertações sobre o seguinte tema:

"É necessário muitas coisas serem para assinantes no início do Club Penguin Island?"

Vocês podem me contatar por esses endereços virtuais citados abaixo.

Emails: GianGInter@outlook.com e cpmais52@gmail.com.
Twittter: @GianGInter.

E chegamos ao fim da nona edição do Sala de Debates, e a primeira desse novo estilo. Deixem comentários sobre o que acharam das mudanças que implementei no quadro, quero saber o que acharam e o que ainda pode ser melhorado! E, logicamente, também digam suas opiniões sobre o tema proposto nessa postagem! Os seus comentários podem aparecer na décima edição, na área dedicada para as melhores argumentações sobre a edição anterior! Espero vocês no debate! Até mais e... Pinguinando!